Aprovados INSS: Carlize Wibrantz

46

aprovados_inss_carlize_BLOG_alfacon

Orgulho. Este é o sentimento que resume o que o AlfaCon sente neste momento com o resultado do concurso do INSS. Veja você mesmo, tire suas próprias conclusões: dos 2.587 aprovados, 662 são ALFARTANOS, 43 primeiros lugares são nossos. Sim, 25% dos novos servidores do INSS estudaram com o AlfaCon. Investiram no estudo, se dedicaram e conquistaram o sonho de ser um aprovado, de estar entre as vagas, de assumir um cargo público. A equipe AlfaCon não poderia estar mais feliz, pois é parte desta conquista. Se você sonha ser um servidor público, saiba que você pode, basta ter a preparação certa. Compartilhamos aqui, com vocês, a história de uma alfartana aprovada no concurso do INSS. Saiba como ela se preparou e qual dica ela deixa para quem trilha este caminho dos concursos públicos.

"Meu nome é Carlize, sou de São Miguel do Oeste, Santa Catarina. Tenho 32 anos. Sou formada em Direito e decidi estudar para concurso pela estabilidade e segurança financeira que proporciona. Já estudo para concursos públicos há cerca de 5 anos, mas específico para o concurso INSS iniciei em 2014. Eu trabalho durante o dia, então estudava à noite e nos finas se semana, assistindo aulas e complementando com apostilas. Também resolvi muitos exercícios da banca e de concursos anteriores. Me dediquei em todas as disciplinas com afinco, mas no mês que antecedeu a prova foquei mais no Direito Previdenciário e na matéria de Português (matéria que mais tenho dificuldade) e revisei o conteúdo de todas as outras disciplinas, sempre com tempo para realizar exercícios após a revisão.

A motivação durante meu período de preparação vinha e ia embora. Nem sempre estive motivada. Mas acredito que esses altos e baixos são normais nesses momentos de pressão. Pensei muitas vezes em desistir, mas continuei e valeu muito! A desmotivação vinha quando parecia que eu nunca estaria preparada, que os outros sabiam mais que eu e que sempre teria alguém melhor, passos à minha frente. Mas quando batia o desanimo pensava que eu também era capaz, que já tinha investido e que queria mudar a minha vida e continuava.

Me afastei de tudo, vivia para trabalhar e estudar, expliquei para as pessoas próximas que eu iria ‘sumir’ por um tempo e para a família pedi compreensão pela ausência, mas às vezes fazia um programa em família, porque o lazer também ajuda a relaxar. Atualmente, vivo em união estável e moramos na casa dos meus sogros. Meu marido também é concurseiro e compreendeu e me auxiliou muito. Minha família, que inclui a do meu marido, sempre me apoiou e todos se mantiveram próximos, tenho muitas pessoas que devo agradecimento por essa conquista, não é só minha.

Antes de ser aprovada no concurso do INSS prestei vários concursos públicos, não para treinar, mas com objetivo de ser aprovada. No começo minha nota era baixa, longe da média para classificação. Com o tempo fui melhorando e já conseguia me classificar, até que a aprovação dentro das vagas aconteceu. Comecei realmente a estudar para o concurso do INSS quando as primeiras notícias de que o concurso iria ocorrer começaram a sair. Consegui me manter motivada com o auxílio dos cursos e ajuda dos professores do AlfaCon, mas tive crises durante a preparação. Chegava a ficar semanas sem estudar e depois retornava. Mas, após o edital não parei mais, apenas tirava o sábado ou o domingo como repouso.

Com o tempo fui entendendo como eu rendia e aprendia mais, cada pessoa é diferente. Temos que nos conhecer. Eu assistia as aulas, anotava o que era importante (complementando as apostilas) revisava sempre e fazia muitos exercícios. Minha maior dificuldade no perído de estudo foi fazer com que as pessoas entendessem que estudar é como trabalhar, tem que ter disciplina, horários, metas e a rotina. Independente do que acontecia eu cumpria com a minha programação do dia e, se atrasava, seguia até mais tarde com os estudos. Muito importante é descansar também, no início tentava ter 8 horas de sono por noite, depois, quando saiu o edital, foram 6 horas de sono, mas tem que descansar.

Quando o concurso se aproximou foi difícil controlar a ansiedade, nervosismo e insegurança. Senti tudo isso, mas tive ajuda de uma psicóloga, tomei alguns calmantes naturais e um receitado por médico. Nos últimos dias antes da prova, revisei e foquei na resolução dos exercícios, mas reduzindo a intensidade dos estudos e tentando relaxar mais.

Acima de tudo é preciso ter foco e persistência. Falhas temos sim, mas com elas ficamos mais fortes. Observei que deveria ter me dedicado mais nas matérias que tenho mais dificuldades e não gosto, porque elas se tornam mais difíceis. Essa é minha dica para quem está nesta caminhada rumo à aprovação. 

Não desistam, pois todos somos capazes de chegar lá. Tenha foco e persistência que o seu dia irá chegar!"

>> Confira mais depoimentos de aprovados

De cada 4 aprovados 1 é Alfartano

>> Confira todos os números de aprovados no INSS

>> Confirmado pedido de 7.351 novas vagas para o INSS

Comentários

comentarios