Concurso TRF 1 Região: Confira as questões passíveis de recurso!

12888

O Concurso TRF 1 que teve sua prova realizada no último domingo já liberou o acesso para as provas e gabaritos preliminares.  O prazo para interpor recurso, pelo site da banca organizadora, é a partir faz 9h do dia 29/11 até às 18h do dia 30/11/2017.

RECURSOS – PROVA DE TÉCNICO – C. BÁSICOS

Questão 10 – O texto é predominantemente argumentativo, uma vez que nele
se defende determinado posicionamento com relação à avaliação acerca da exigibilidade ou não de procedimento licitatório prévio para a contratação de advogados.

Recurso: A questão afirma que o texto é predominantemente argumentativo, em razão de defender determinado posicionamento em relação à avaliação acerca da elegibilidade ou não de procedimento licitatório prévio para a contratação de advogados. Entretanto, um texto de caráter argumentativo deve defender claramente esse posicionamento, o que não ocorre no texto. Desde o início existe uma problemática apresentada no que diz respeito à exigibilidade do processo licitatório. O texto afirma que esse é um problema de difícil resolução, pois apresenta perspectivas distintas sobre o trabalho advocatício. Ao longo do texto, o autor expõe a dificuldade nessa avaliação sem assumir um dos lados. Com base nessa construção, pode-se afirmar que não se trata de uma tipologia argumentativa, mas de uma tipologia dissertativa expositiva. Logo, solicita-se a troca do gabarito para ERRADO.

C. ESPECÍFICOS
Questão nº 102 (Cargo 6: Técnico Judiciário – Área: Administrativa): Recorrível.
José, com vinte anos de idade, e seu primo, Pedro, de quinze anos de idade, saíram para conversar em um bar. José, que estava ingerindo bebida alcoólica, ficou muito bêbado rapidamente em razão do efeito colateral provocado por medicamento de que fazia uso. Pedro, percebendo o estado de embriaguez do primo, fez que este praticasse um ato que sabia ser tipificado como delituoso.
A respeito dessa situação hipotética e considerando o concurso de pessoas e a imputabilidade penal, julgue os itens que se seguem.
102 José não poderá ser punido pelo crime que cometeu porque se encontrava em estado em embriaguez decorrente de caso fortuito, hipótese de isenção de pena.
Gabarito preliminar: Certo.
 Recurso: O Código Penal Brasileiro adota a teoria do “actio libera in causa” — ação livre na causa — acerca da imputabilidade da embriaguez, posto que seja uma exceção ao princípio da culpabilidade penal (vedação à responsabilidade penal objetiva), pois, via de regra, o Direito Penal somente deverá responsabilizar o agente pelo seu elemento subjetivo — responsabilidade penal subjetiva como regra. Nessa teoria (adota pelo CP, art. 28, II), se o agente deu início ao seu estado de embriaguez de forma livre e consciente, então a prática de um futuro crime será punível como se houvesse consciência, mesmo que totalmente embriagado, segundo a qual “não excluem (exclui) a imputabilidade penal: a embriaguez, voluntária ou culposa, pelo álcool ou substância de efeitos análogos” (art. 28, “caput”, c/c inciso II, CP); perante o art. 18, II, do CP, há crime culposo “quando o agente deu causa ao resultado por imprudência, negligência ou imperícia”.
Na situação hipotética, José fazia uso de medicamento e, evidentemente, de forma negligente não deu os devidos cuidados para ler as precauções do uso deste combinado com bebida alcoólica, haja vista que todos “os medicamentos cuja formulação exija advertências específicas devem incluir essas informações em suas bulas e embalagens” (art. 3º, ANVISA/MS, Instrução Normativa – IN nº 9, de 1º de agosto de 2016). Portanto, José ficou embriagado de forma culposa (art. 18, II, CP) e deve ser responsabilizado pelo resultado criminoso (art. 28, II, CP).
Destarte, ele foi colocado na situação criminosa por um autor mediato que tinha controle do fato (erro determinado por terceiro, art. 20, §2º, CP), mas este era menor de 18 anos — Pedro tinha 15 anos — e, por conseguinte, não comete crimes por força do art. 27 do CP: inimputabilidade biológica absoluta; todavia responderá por “ato infracional análogo a crime”, conforme as regras do Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA (Lei nº 8.069/90).
Além disso, por interpretação podemos observar que José praticou um resultado não querido, no entanto não é possível extrair que lhe era previsível o resultado, uma vez que se o resultado for imprevisível, então será fato atípicoexcluindo-se o próprio crime; e não há exclusão da culpabilidade (absolvição), o que gera a “isenção da pena”; já se o resultado fosse previsível, então José deveria responder na modalidade culposa pelo crime não querido por ele praticado, se previsto em lei (art. 18, parágrafo único, CP) — outra dissonância com o Código Penal, na medida em que a questão não citou qual resultado foi gerado (é crime que possui a tipicidade culposa?).
Nesse mesmo diapasão, leciona Rogério Sanches Cunha (2016): “Em resumo, o ato transitório revestido de inconsciência (momento do crime, em que o agente se encontra embriagado) decorre de ato antecedente que foi livre na vontade (momento de ingestão da bebida ou substância análoga), transferindo-se para esse momento anterior a constatação da imputabilidade e da voluntariedade. A constatação da imputabilidade + vontade do agente no momento em que ingeria a bebida, evita a responsabilidade penal objetiva: se bebeu prevendo o resultado, querendo a sua produção, haverá crime doloso; se bebeu, prevendo o resultado, e aceitou sua produção, temos o dolo eventual; se bebeu e previu o resultado, o qual acreditou poder evitar, configura-se a culpa consciente; se não previu, mas era previsível, culpa inconsciente; se imprevisível, fato atípico.”. (CUNHA, R. S. Manual de Direito Penal: Parte Geral. 4ª ed. rev., ampl. e atual. Salvador: JusPODIVM, 2016, p. 294-295)

Confira, logo abaixo, as provas e gabaritos:

TRF 1 – Técnico – Caderno – C. Básicos
TRF 1 – Técnico – Caderno – C. Específicos
TRF 1 – Técnico – Gabarito – C. Básicos
TRF 1 – Técnico – Gabarito – C. Específicos

TRF 1 – AJ ADM – Caderno – C. Básicos
TRF 1 – AJ ADM – Caderno – C. Específicos
TRF 1 – AJ ADM – Gabarito – C. Básicos
TRF 1 – AJ ADM – Gabarito – C. Específicos

TRF 1 – AJ AJ – Caderno – C. Básicos
TRF 1 – AJ AJ – Caderno – C. Específicos
TRF 1 – AJ AJ – Gabarito – C. Básicos
TRF 1 – AJ AJ – Gabarito – C. Específicos


O TRF 1ª Região (Tribunal Regional Federal) encerrará hoje, às 18h, as inscrições para o seu concurso público. Os interessados no concurso TRF 1 deverão efetuar suas inscrições no site da banca organizadora, Cebraspe. As taxas são de R$ 75 para técnico e R$ 86 para analista.

Retificações são para os cargos de nível médio e superior.

O edital do concurso TRF 1 sofreu sua primeira retificação. Estas incluem os cargos de nível médio e superior. As mudanças foram nas disciplinas de Legislação Específica para os cargos de técnico e analista e na disciplina de direito civil.

Confira:

Parte I – Canto inferior direito


Parte II


Estão abertas as inscrições para o Concurso TRF 1!

Estão abertas a partir de hoje, dia 13/09, as inscrições para quem pretende realizar a prova do Concurso TRF 1 Região.

Os interessados devem realizar as inscrições no site da banca organizadora (CESPE/CEBRASPE) até o dia 03/10/2017. As inscrições estão no valor de R$ 86 para o cargo de analista e R$ 75 para o cargo de técnico.


Foi publicado hoje no Diário Oficial, dia 06/09, edital para o concurso TRF 1 Região.

O concurso TRF 1 será realizado pelo Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), banca organizadora do concurso.

>> CURSO TRF 1 REGIÃO 

O concurso TRF 1 destina-se ao provimento de cargos e à formação de cadastro de reserva para o preenchimento dos cargos que vierem a vagar após a homologação do resultado final ou forem criados dentro do prazo de validade do concurso e destinados para provimento nos Quadros de Pessoal do TRF 1.

A seleção concurso TRF 1 para os cargos de que trata este edital compreenderá as seguintes fases:
Concurso TRF 1:

a) provas objetivas, de caráter eliminatório e classificatório,
para todos os cargos, de responsabilidade do Cebraspe;

b) prova discursiva, de caráter eliminatório e classificatório,
somente para os cargos de Analista Judiciário, de responsabilidade do
Cebraspe;
c) prova prática de apanhamento taquigráfico, de caráter eliminatório e classificatório, somente para os cargos de Analista Judiciário – Área: Apoio Especializado – Especialidade: Taquigrafia e Técnico Judiciário – Área: Apoio Especializado – Especialidade: Taquigrafia, de responsabilidade do Cebraspe;
d) prova de aptidão física, de caráter eliminatório, somente para o cargo de Técnico Judiciário – Área: Administrativa – Especialidade: Segurança e Transporte, de responsabilidade do Cebraspe.
Confira as principais informações do concurso TRF 1:
  • ÓRGÃO: Tribunal Regional Federal
  • ESTADOS: tem sob sua jurisdição o Distrito Federal e os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Piauí, Rondônia, Roraima e Tocantins.
  • CARGOS:
    – Técnico Judiciário – Área Administrativa;
    – Analista Judiciário – Área Administrativa;
    – Analista Judiciário – Área Judiciária;
  • STATUS: Aberto
  • VAGAS:
    – Técnico Jud. Área Adm: 3 + CR
    – Analista Jud. Área Jud. 6 + CR
    – Analista Jud. Área Adm: CR
  • NÍVEL: Médio e superior
  • REMUNERAÇÃO:
    – R$ 10.461,90 para os cargos de Analista;
    –  R$ 6.376,41 para o cargo de Técnico.
  • BANCA: Cebraspe (Cespe/UNB)
  • DATA DA INSCRIÇÃO: 13/09/2017 até 03/10/2017.
  • VALOR DA INSCRIÇÃO:
    a) Analista Judiciário: R$ 86,00;
    b) Técnico Judiciário: R$ 75,00.
  • DATA DA PROVA: 26 de novembro de 2017
    – Nível médio:  3 horas e 30 minutos de prova, aplicadas no turno da tarde.
    – Nível superior: 4 horas e 30 minutos de prova, aplicadas no turno da manhã.
  • NÚMEROS DE QUESTÕES: 120
  • FORMATO: Certo/Errado
  • REDAÇÃO: Sim. Apenas para os cargos de Analista Judiciário – Área Judiciária e Administrativa.
  • QUANTIDADE DE REDAÇÕES A SEREM CORRIGIDAS:
    – AJ AJ – 1.785
    – AJ AA – 235
  • VALIDADE DO CONCURSO: 02 anos, podendo ser prorrogado, uma única vez, por igual
    período.
 MATÉRIAS:
  • Nível Médio (TÉCNICO JUDICIÁRIO – ÁREA ADMINISTRATIVA)
  • Conhecimentos Básicos:

    LÍNGUA PORTUGUESA
    ÉTICA NO SERVIÇO PÚBLICO
    LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA
    DIREITO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA
    RACIOCÍNIO ANALÍTICO
    RACIOCÍNIO LÓGICO

  • Conhecimentos Específicos:
    NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL
    NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO
    NOÇÕES DE DIREITO CIVIL
    NOÇÕES DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL
    NOÇÕES DE DIREITO PENAL
    NOÇÕES DE DIREITO PROCESSUAL PENAL
  • Nível Superior (Analista Judiciário – Áreas Judiciária e Administrativa)
  • Conhecimentos Básicos:

Língua Portuguesa
Ética no Serviço Público
Legislação Específica
Direitos da Pessoa com Deficiência
Raciocínio Analítico
Raciocínio Lógico
Atualidades

  • Conhecimentos Específicos:

Analista Judiciário – Área Judiciária:

Direito Constitucional
Direito Administrativo
Direito Civil
Direito Processual Civil
Direito Penal
Direito Processual Penal

Analista Judiciário – Área Administrativa
Administração Pública
Contabilidade Pública
Orçamento Público
Administração de Recursos Materiais
Direito Administrativo
Direito Constitucional

As provas objetivas, a prova discursiva, a prova prática de apanhamento taquigráfico, a prova de aptidão física, o procedimento de verificação da condição declarada para concorrer às vagas reservadas aos candidatos negros e a perícia médica dos candidatos
que se declararam com deficiência serão realizadas nas cidades de Belém/PA, Belo Horizonte/MG, Boa Vista/RR, Brasília/DF, Cuiabá/MT, Goiânia/GO, Macapá/AP, Manaus/AM, Palmas/TO, Porto Velho/RO, Rio Branco/AC, Salvador/BA, São Luís/MA e Teresina/PI.

Havendo indisponibilidade de locais suficientes ou adequados nas localidades de realização das provas, estas poderão ser realizadas em outras localidades.

CARGOS
TÉCNICO JUDICIÁRIO – ÁREA: ADMINISTRATIVA

REQUISITO: certificado, devidamente registrado, de conclusão de curso de ensino médio (antigo segundo grau) ou curso técnico equivalente, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo órgão competente.

DESCRIÇÃO SUMÁRIA DAS ATIVIDADES: realizar atividades de nível intermediário a fim de fornecer auxílio técnico e administrativo, favorecendo o exercício da função judicante pelos magistrados e(ou) órgãos julgadores e o exercício das funções necessárias ao adequado funcionamento da organização; desempenhar o processamento de feitos, redigir minutas, realizar o levantamento de dados para elaboração de relatórios estatísticos, planos, programas, projetos e para a instrução de processos, pesquisar legislação, doutrina e jurisprudência, emitir pareceres, relatórios técnicos, certidões,declarações e informações em processos; distribuir e controlar ma-
terias de consumo e permanente; elaborar e conferir cálculos diversos, digitar, revisar, reproduzir, expedir e arquivar documentos e correspondências; prestar informações gerais ao público, bem como realizar a manutenção e consulta a bancos de dados e outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade.

ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA: ADMINISTRATIVA

REQUISITO: diploma, devidamente registrado, de conclusão
de curso de nível superior em qualquer área de formação, fornecido
por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da
Educação (MEC).

DESCRIÇÃO SUMÁRIA DAS ATIVIDADES: realizar atividades de nível superior a fim de favorecer o adequado funcionamento e desenvolvimento da organização; planejar, executar, acompanhar e avaliar planos, projetos, programas ou estudos ligados à administração de recursos humanos, materiais e patrimoniais, orçamentários e financeiros, bem como ao desenvolvimento organizacional, à contadoria e(ou) auditoria; emitir pareceres, relatórios técnicos, certidões, declarações, informações em processos, bem como outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade.

ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA JUDICIÁRIA

REQUISITO: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível superior em Direito, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC.

DESCRIÇÃO SUMÁRIA DAS ATIVIDADES: realizar atividades de nível superior a fim de fornecer suporte técnico e administrativo, favorecendo o exercício da função judicante pelos magistrados e(ou) órgãos julgadores; desempenhar o processamento de feitos, elaborar pareceres, certidões e relatórios estatísticos, analisar e pesquisar legislação,doutrina e jurisprudência; indexar documentos e atender às partes, dentre outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade.

RELAÇÃO DE PROVAS X NÚMERO DE QUESTÕES

ANALISTA JUDICIÁRIO

PROVA CONCURSO TRF 1
ÁREA DE CONHECIMENTOS
Nº DE ITENS
p1 – objetiva
Conhecimentos Básicos
50
p2 – objetiva
Conhecimentos Específicos
70
p3 – discursiva
TÉCNICO JUDICIÁRIO
PROVA CONCURSO TRF 1
ÁREA DE CONHECIMENTOS
Nº DE ITENS
p1 – objetiva
Conhecimentos Básicos
50
p2 – objetiva
Conhecimentos Específicos
70

As provas objetivas e a prova discursiva para os cargos de nível superior terão a duração de 4 horas e 30 minutos e serão aplicadas na data provável de 26 de novembro de 2017, no turno da manhã.

As provas objetivas para os cargos de nível médio terão a duração de 3 horas e 30 minutos e serão aplicadas na data provável de 26 de novembro de 2017, no turno da tarde.

O extrato do edital que informará a disponibilização da consulta aos locais e aos horários de realização das provas será publicado no Diário Oficial da União, e o respectivo edital será divulgado na internet, no endereço eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/trf1_17_servidor, na data provável de 16 de novembro de 2017.

>> ATENÇÃO!
  • As provas objetivas, de caráter eliminatório e classificatório, valerão 120,00 pontos;
  • A nota em cada item das provas objetivas, feita com base nas marcações da folha de respostas, será igual a: 1,00 ponto, caso a resposta do candidato esteja em concordância com o gabarito oficial definitivo das provas; 1,00 ponto negativo, caso a resposta do candidato esteja em discordância com o gabarito oficial definitivo das provas; 0,00, caso não haja marcação ou haja marcação dupla (C e E).
  • A nota em cada prova objetiva será igual à soma das notas obtidas em todos os itens que a compõem.
  • Será reprovado nas provas objetivas e eliminado do
    concurso público o candidato que se enquadrar em pelo menos um
    dos itens a seguir:a) obtiver nota inferior a 10,00 pontos na prova objetiva de
    Conhecimentos Básicos P1;
    b) obtiver nota inferior a 21,00 pontos na prova objetiva de
    Conhecimentos Específicos P2;
    c) obtiver nota inferior a 36,00 pontos no conjunto das provas objetivas.
Concurso TRF 1
Concurso TRF 1
Concurso TRF 1
Concurso TRF 1
Concurso TRF 1
Concurso TRF 1
Concurso TRF 1
Concurso TRF 1
Concurso TRF 1
Concurso TRF 1

 

Concurso TRF 1
Concurso TRF 1

Concurso TRF 1

LEMBRE-SE:

Uma questão errada anula uma certa.

A grande essência desse tipo de prova é: Quanto menos o candidato errar maior será sua pontuação líquida.

Outro ponto importante: Isso não quer dizer que, quando em dúvida, deverá marcar tudo em branco.

Essas observações são cruciais, pois elas irão separar os aprovados dos reprovados.

Concurso TRF 1
Concurso TRF 1
Comum aos cargos de Técnico e Analista

Concurso TRF 1

Concurso TRF 1

Concurso TRF 1

Concurso TRF 1

Concurso TRF 1
Concurso TRF 1

Concurso TRF 1

Concurso TRF 1

Concurso TRF 1

Concurso TRF 1

Concurso TRF 1

Concurso TRF 1


Para mais informações sobre concursos, dicas e aulas gratuitas, acompanhe-nos nas redes sociais:


Está cada dia mais próximo de acontecer o concurso TRF 1 Região. A Cespe será a banca organizadora responsável pelo concurso, esta informação foi divulgada pela Justiça Federal. O edital deve sair ainda este ano para o provimento de cargos efetivos e, o próximo passo é aguardar a divulgação do contrato.

Os cargos deverão ser principalmente para o Distrito Federal, porém ainda não há um número exato de vagas. A abertura de um novo concurso é necessário, pois o prazo de validade do último certame, o qual ocorreu em 2011, expirou em junho deste ano. Atualmente o órgão conta com cerca de 200 cargos vagos.

Cargos e remunerações concurso TRF 1

A oferta de vagas será para as carreiras de Técnico e Analista Judiciário, com exigência de nível médio e superior. As carreira possuem diversos benefícios, além da estabilidade garantida pelo regime estatutário, a carga horária de trabalho de seis horas, as remunerações são de:
– Técnico Judiciário: R$ 7.320,00;
– Analista Judiciário: R$ 11.063,00.

O órgão estima que o concurso TRF 1ª Região deverá ter mais de 120 Mil candidatos inscritos para funções de Analista. Já para o cargo de Técnico Judiciário, a estimativa é de mais de 170 Mil candidatos pagantes inscritos.

Inscrição concurso TRF 1

As taxas de inscrição serão no valor de R$ 87 ou R$ 105.

Último concurso TRF 1

O últimoconcurso TRF 1 Região foi realizado em junho de 2011. Ofertou 13 vagas, sendo 4 para o cargo de Técnico (nível médio técnico) e 9 para a função de Analista (nível superior).

Os convocados atuarão nos estados do Acre, Amapá, Bahia, Minas Gerais e Piauí. As remunerações variaram entre R$ 4.947,95 e R$ 8.118,19 e as jornadas de trabalho são de 40 horas semanais. A FCC foi a organizadora da seleção.

Para os aprovados no cargo de Analista Judiciário houve vagas nas especialidades judiciária e execução de mandados, para quem tem curso superior em direito; administrativa, destinada a formados em qualquer área; e apoio especializado – contadoria, que requer nível superior em ciências contábeis. A remuneração inicial era de R$ 6.551,52.

Os postos de Técnico Judiciário foram ocupados por candidatos com ensino médio completo. As áreas eram administrativa, operação de computadores e segurança e transporte, o último exigia carteira de habilitação nas categorias “C” ou “D”.

Tudo sobre as carreiras tribunais: http://blog.alfaconcursos.com.br/carreiras-tribunais/

Comentários

comentarios