Conheça o aluno Jaime Macedo que está de malas prontas para a ANP

50

jaime_aprovado

Já trouxemos neste post os depoimentos de dois convocados para a ANP, mas como as histórias de sucesso não acabaram, vocês conferem agora o depoimento do Jaime Macedo Fernandes, 43º lugar na Policia Federal.

“Meu nome é Jaime Macedo Fernandes, sou ex-militar do Exército Brasileiro, licenciado no dia 30/11/2014. Sou nascido, e sempre havia morado em Boa Vista – Roraima, até que, por obra divina ou do destino, fui transferido ex-officio para Cascavel-PR. Insatisfeito com a carreira que levava, decidi que começaria a estudar. Iniciei minha graduação em Tecnologia e, ao mesmo tempo, comecei a me informar sobre concursos. Alguns amigos me indicaram o AlfaCon como o melhor curso do País. Comecei minha preparação para a concurso de Agente de Polícia Federal em 26 de agosto de 2013.

Meu planejamento consistiu em estudar no on-line (mesmo estando em cascavel – o curso presencial não é barato) e ver a matéria pelo menos 3 vezes (toda), até a saída da autorização. Naquele tempo, Evandro Guedes dizia em um de seus vídeos que o aluno estaria pronto para passar com no mínimo 400 ou 800 horas líquidas de estudo (não me recordo ao certo). E essa foi a minha primeira meta. Ao mesmo tempo, aproveitava para juntar dinheiro para poder entrar no presencial (tenho mulher e filha, e vim de outro Estado). Tirava serviço para os meus companheiros dia sim, dia não (o serviço no EB é 24 horas + expediente no outro dia), para poder ficar estudando, já que, em casa, minha família demandava muita atenção. Nesse ponto, já chegava a quase virar um zumbi. Acordava às 4 da manhã para estudar e, ainda assim, ia trabalhar. Vi e revisei a matéria várias vezes. Fiz a inscrição para a Polícia Legislativa da Câmara Federal e, quando faltavam 20 dias para prova, saiu a autorização do concurso da Polícia Federal. Fiquei desesperado, pois, em 2012, foram 45 dias da autorização pro edital. Abri mão de fazer essa prova, pois só tinha R$ 500,00 para viajar para Brasília e fazer a prova. Foi minha primeira decisão importante. Peguei os 500 reais e entrei no curso presencial de Cascavel, conforme havia planejado. Afinal, o que um Roraimense iria querer em Brasília? O curso presencial foi fundamental para a revisão do conteúdo e aprimoramento das técnicas de prova. O meu objetivo de entrar no presencial era principalmente fazer os simulados e as redações. Mesmo estando no presencial, sempre mantive o meu foco (2 matérias por dia, simulados, exercícios – sempre em ciclos). Continuei a acordar cedo e a dormir tarde, e assim levei de abril a dezembro de 2014.

Muitas vezes, minha esposa questionava o tempo que eu não tinha para minha filha. Então, comecei a ficar com minha filha sempre das 17h30 às 18h30 (intervalo entre o trabalho e o curso presencial). Muitas vezes, eu mesmo me questionei se era isso mesmo o que eu queria – antes de vir pra Cascavel, havia ficado 8 meses em missão de paz no Haiti, ficava muito tempo distante da minha pequena e isso me machucava. Muitos me falavam que eu tinha que aproveitar o agora, e minha resposta era sempre “melhor abrir mão agora do que ter que abrir mão depois”.

Muitas vezes, desanimei, muitas vezes, chorei ao ir me deitar, muitas vezes, pensei em desistir (quem não passa por isso, não está dando tudo de si). Mas sempre procurei forças dentro de mim para continuar. Minha esposa foi fundamental, foi pai e mãe ao mesmo tempo para minha filha, tudo pelo mesmo ideal, sempre minha companheira. Em março ainda, decidi que não ficaria mais no EB, e, assim, informei aos meus superiores que esperaria até o final do contrato em novembro.

Os resultados então começaram a aparecer, fruto de dedicação e esforço. Não me classifiquei no concurso para Educador Social em Cascavel, mas fui aprovado em 16º lugar geral para a Polícia Civil de SC. Saí do EB com o “Plano B – PCSC” e agora consegui o 43º lugar na Polícia Federal (80 + 11,43). No final, tudo dá certo. Se ainda não deu certo, é porque ainda não é o final.

Muitos vão te criticar, muitos vão querer te desanimar, muitos vão dizer que não vai ter concurso, que é muito difícil. No final das contas, é você quem decide o seu futuro, é você quem decide quem você quer ser. Você pode ser o que quiser, basta que se dedique de corpo de alma. Alguns dirão que eu sou “cagado”, passar assim num concurso desse, dirão que só passei porque sou “inteligente”. Ninguém esteve na minha pele, ninguém viveu a minha vida, ninguém tomou as minhas decisões. Ninguém se sacrificou por mim, sacrificou o tempo de lazer. Ninguém sabe o que se passou, só minha esposa e eu. No final das contas, em 16 meses de estudo, cumpri 2.142 horas, 57 minutos e 6 segundos de estudos líquidos (cronometrados).

Evandro sempre fala que tem que ter paciência, mas muitos alunos confundem essa paciência. Uma vez, vi um aluno falando com seus familiares no telefone, e ele disse: “não, tô tranquilo, aqui o pessoal demora três anos pra passar”. Não pensem assim, deem sempre o seu melhor para que não prepondere o sentimento de que poderia ter se dedicado mais. Dedique-se sempre e sempre, independente do tempo que leve pra passar. Seja 3, 5, 7 ou 10 anos, dê sempre o seu melhor, principalmente na preparação. Escutem os professores, eles sabem o que fazem. O Alfa, além de tudo isso, demonstrou sempre o seu comprometimento com o aluno, nunca nos deixou na mão em momento algum, apesar de diversos contratempos, estavam todo unidos(professores e alunos).

A minha história não é bonita, não larguei tudo e vim estudar, admiro muito os amigos do presencial que fizeram isso. Merecem tanto quanto eu, ou mais. Mas o nosso tempo, não é o tempo de Deus, e isso é ter paciência. Acredito que Deus me trouxe a Cascavel pra viver esse momento. Mas posso dizer que sempre dei o meu melhor, sempre me dediquei ao máximo, estudei muito, muito e muito, e fiz o simples. Após a prova, pude curtir a minha filha que agora tem 3 anos e meio.

Agradeço aos professores do Alfa – os melhores do Brasil. Não desistam, o final pode estar mais próximo do que se espera. Aguardo vocês no DPF.”

“Não tolere o fracasso porque as outras pessoas também fracassaram! Aproveite essa oportunidade para se destacar no meio da multidão! Revolte-se com o fato de ninguém conseguir atingir o objetivo! Faça a diferença e conquiste o que a maioria jamais conquistará! É na fraqueza da multidão que você se destaca e mostra a sua força!!! Assuma sua responsabilidade, aproveite a oportunidade e faça a diferença! A glória e o sucesso são conquistas que pertencem apenas aos que estão dispostos a andar na contramão da massa!” Daniel Sena

Comentários

comentarios