Depoimento Evelini Fonseca – Alfartana aprovada no concurso TRE PR

386

“Meu nome é Evelini Fonseca, tenho 31 anos, sou de Belo Horizonte – MG e fui aprovada no concurso do TRE PR. Sou formada em Direito e decidi fazer concurso durante a faculdade quando percebi que não me encaixava na dinâmica de escritório e por querer uma vida financeiramente tranquila para realizar meus projetos.

Me dediquei efetivamente ao estudo para os concursos por 2 anos. Primeiro vi minha dificuldade em português e fui estudar de verdade a matéria. Depois disso passei a fazer 20 questões todos os dias. Com informática fiz um curso que foi pouco útil, mas decidi vencer a má vontade e me empenhar a fazer 20 questões todos os dias. O resto das matérias que já tinha algum conhecimento fui lapidando com revisões, leitura da lei e exercícios diários.

Eu apenas estudava. Estudei com os resumos que venho organizando e alimentando ao longo do estudo. O desânimo vinha sempre devido ao cansaço, por estar nessa batalha já há algum tempo, do sentimento de que mesmo indo bem ainda tinha uma espera pela frente. Porém, na maior parte do tempo tentava não pensar nisso, apenas sentar na cadeira e fazer aquilo programado para o dia. Quando estava desanimada, ia fazer exercícios, se errava muito parava e ia fazer qualquer outra coisa que não tivesse relação com concurso.

Já venho em uma rotina de abdicação de algumas coisas, nem penso muito sobre isso. Deixo de encontrar minhas amigas, de fazer programas mais cansativos que sei que vou precisar de um dia inteiro para me recuperar. Sou casada e meu maior apoiador é meu marido. Alguns amigos se distanciaram pois de tanto negar convites eles pararam de faze-los. Porém, aqueles amigos de verdade entendem e não se incomodam.

Nos últimos 2 anos tenho feito o maior número de provas possível. Isso foi bom, pois fui vendo a melhora mais de perto e efetiva. Comecei a estudar meses antes do edital do TRE SP sair, e após essa prova fui embalada no estudo para o TRE PR. Me mantive motivada imagino por ter certeza que os editais iam sair, pelo fato de saber que era esse concurso em específico que eu desejava e em locais que desejava.

Conheci o AlfaCon no Google. Fiz a revisão de véspera e me ajudou em algumas questões na hora da prova. Depois de achar que o modo como estava estudando não estava me fazendo avançar decidi mudar. Fiz um cronograma com revisões programadas em 48h, 7 dias e 30 dias, no início. Após praticamente esgotar o edital esqueci esse esquema, dividi o edital em tópicos e coloquei em uma agenda para revisar pelo menos 4 tópicos por dia. Depois de cada revisão muitos exercícios.

A maior dificuldade era vencer o cansaço e a ansiedade. Mas com muita persistência e resiliência, desejo de fazer dar certo, superei todas as dificuldades. O que me deixava menos nervosa na reta final era fazer exercício, fazia muitos com a lei ao lado. Acertar me fazia saber que estava no caminho certo, que a matéria estava fixando. O que foi efetivo sem dúvida foram a quantidade de exercícios, fez toda a diferença. Acredito que a falha foi na hora da prova em que deixei o nervosismo tomar conta, pois estava achando a prova muito difícil e acabei pecando na redação.

Não desista, porque a história de que concurso é uma longa fila, é a pura verdade. A vez de quem não desiste chega. Fazer muitos, muitos e muitos exercícios faz diferença.”

Comentários

comentarios