TRT/PR: Comentário da prova – Língua Portuguesa

239

trtpr_prova_comentada_recursos_lingua_portuguesa_alfacon

Se você fez a prova do concurso para o Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região (TRT-PR), já deve ter conferido as sugestões de recursos que preparamos AQUI e AQUI.  Agora vocês conferem o comentário da prova de redação feito pela professora Giancarla Bombonato.

Analista Judiciário – Área Administrativa

Epicuro havia percebido que as leis não educam: que não eram feitas para serem propriamente obedecidas, mas para garantir, sobretudo, a possibilidade de punição. Ele se deu conta, por um lado, de que a educação e as necessidades básicas do ser humano deveriam ser gerenciadas pela pólis (Estado); por outro lado, viu que era preciso, de algum modo, isolar para educar, porém, sem reclusão, porque a virtude do caráter político não se reduz, afinal, a um modelo ou teoria, tampouco ao recinto de uma instituição ou de uma pólis. (Adaptado de: SPINELLI, Miguel. Epicuro e as bases do epicurismo, São Paulo, Paulus, 2013, p. 8)

Com base no excerto acima, escreva uma dissertação justificando amplamente seu ponto de vista.

Para poder elaborar um texto dissertativo-argumentativo (ou seja, um texto que apresente uma defesa de um ponto de vista) a partir de um excerto, é preciso, primeiramente, interpretar a ideia (a essência) desse trecho.

A prova do TRT-PR, cargo de Analista Judiciário (área administrativa), trouxe um texto de Epicuro (filósofo grego do período helenístico – seu pensamento foi muito difundido naquela época). Para entender o texto apresentado na proposta, não era preciso saber quem foi Epicuro, mas havia a necessidade de se entender que um texto filosófico sempre é pautado por uma reflexão.

1º passo: destacar as ideias principais do trecho, sem interpretar.

– As leis eram feitas para garantir a possibilidade de punição

– Contraponto: a educação e as necessidades básicas do ser humano deveriam ser gerenciadas pela pólis (Estado) X era preciso isolar para educar, porém, sem reclusão

– Caráter político: não se reduz a um modelo, teoria, a uma instituição ou a uma pólis (cidade)

2º passo: destacar possíveis ideias que possam ser destacadas a partir do que foi visto no 1º passo.

– As leis não educam, apenas regulam a vida em sociedade.

– A educação deve ser organizada pelo Estado.

– O Estado organiza a educação, mas não educa.

– Ou seja, nem as leis nem o Estado educam.

– A educação deve ser feita de teoria e de prática.

– Apenas a teoria não garante a educação.

– Isto é: a educação não deve ser feita apenas de uma forma reclusa, pautada na teoria; deve, sobretudo, ser fundamentada na prática.

– Para que as pessoas entendam a virtude do caráter político, é preciso que se perceba que não – há um modelo, uma teoria, uma lei que possa garantir o exercício da cidadania.

– A vida em sociedade de ser pautada no acesso ao conhecimento e nas práticas sociais.

– A participação social é fundamental para que a sociedade exista e evolua.

3º passo: marcar o recorte temático

O Estado cria as leis e deve garantir o acesso à educação; porém, as leis e as instituições não educam por si só.

4º passo: rascunho

Fazer o rascunho com base no recorte temático. O candidato deve definir uma tese (ou seja, uma linha de raciocínio) e defender seu ponto de vista. Não precisa, necessariamente, ser a favor ou contra. É possível construir uma argumentação em que são apresentadas várias possibilidades de discussão a respeito do recorte temático.

Técnico Judiciário – Área Administrativa

Apesar da presunção de veracidade que confere autoridade, interesse e sedução a todas as fotos, a obra que os fotógrafos produzem não constitui uma exceção genérica ao comércio usualmente nebuloso entre arte e verdade. Mesmo quando os fotógrafos estão muito mais preocupados em espelhar a realidade, ainda são assediados por imperativos de gosto e de consciência. […] O problema não é que as pessoas se lembrem através das fotografias, mas que se lembrem apenas das fotografias. (SONTAG, Susan. “Na caverna de Platão”, em Sobre a Fotografia, São Paulo, Companhia das Letras, 2008)

A partir do trecho acima, escreva um texto dissertativo-argumentativo sobre o seguinte tema: A imagem como produtora de sentidos na modernidade

A proposta pede um texto dissertativo-argumentativo. Para elaborar esse texto, é preciso trabalhar com a argumentação. A banca FCC considera que argumentar é verificar as várias possibilidades de análise em relação a um tema.

Por isso, é preciso fazer um levantamento de várias ideias sobre o tema e definir uma linha de raciocínio.

1º passo: destacar as palavras principais do tema, sem interpretar.

– imagem

– produção de sentidos

– modernidade

  • Dica: a banca já trouxe a palavra modernidade no tema, por isso é importante evitar fazer resgastes históricos, por exemplo.

2º passo: destacar possíveis ideias que possam ser destacadas a partir do que foi visto no 1º passo.

IMAGEM:

– Pode suscitar a construção de diversos sentidos por parte do receptor.

– Não é feita sem pretensão, mas tem uma finalidade.

– Tem um grande poder.

– Suporte simbólico à atuação de produção de sentido e comunicação do homem.

– Pode ser considerada um instrumento de comunicação.

– O leitor pode confundir-se ou assemelhar-se com o que representa.

– É imitadora.

– Pode tanto educar como enganar, e também levar ao conhecimento.

– É complexa e contraditória.

– Ferramenta de produção de sentido.

– Representa na exposição de significados comunicativos. 

3º passo: marcar o recorte temático

O candidato deve destacar dois ou três pontos do 2º passo e delimitar sua linha de raciocínio.

4º passo: rascunho

Fazer o rascunho com base no recorte temático. O candidato deve definir uma tese (ou seja, uma linha de raciocínio) e defender seu ponto de vista. Não precisa, necessariamente, ser a favor ou contra. É possível construir uma argumentação em que são apresentadas várias possibilidades de discussão a respeito do recorte temático.

Comentários

comentarios