Concurso Bacen: Senado aprova projeto de autonomia do banco

379

Autonomia, também defendida pelo ministro da economia, Paulo Guedes, deve agilizar o concurso Bacen (Banco Central) para até 260 vagas

Boa notícia para quem aguarda um novo concurso Bacen (Banco Central do Brasil, também conhecido BC ou BCB). Acontece que foi aprovado, na última terça-feira, 3 de novembro, no Senado Federal, o projeto de lei complementar 19/2019, que prevê maior autonomia do órgão.

O texto-base contou com 56 votos favoráveis contra 12 contrários. Agora, os parlamentares devem votar uma emenda apresentada pelo PT que propõe uma quarentena de 12 meses para que ex-diretores da instituição possam assumir cargos em instituições financeiras. Novas informações podem ser confirmadas em breve.

A proposta de emenda também estabelece uma espécie de quarentena retroativa. Desta forma, não poderia ser indicado como diretor quem, no ano anterior, tivesse ocupado cargo em empresa submetida à regulação do Banco Central.

Ei! Já conhece nosso curso para o cargo de Suporte Técnico Administrativo do Banco Central do BACEN? Clique aqui e confira o curso GRATUITO!

Após a votação da emenda, o texto deve seguir para análise na Câmara dos Deputados.

A maior autonomia do órgão, que tem como característica a possibilidade de realizar novos concursos com mais facilidade,  é defendida pelo ministro da economia, Paulo Guedes. “Precisamos de um BC (Banco Central) autônomo, que não esteja a serviço de interesses de reeleição, como já ocorreu no passado”, disse, em julho.

Com a proposta, além do controle da inflação, o Bacen passará a ter mais dois objetivos: suavizar as flutuações do nível de atividade econômica e zelar pela solidez do sistema financeiro.

A proposta também fixa em quatro anos o mandato para os dirigentes da autarquia, com a possibilidade de uma recondução, e determina que o mandato do presidente do BC comece no primeiro dia útil do terceiro ano do mandato do presidente da República.

| Estude para concursos de graça com o AlfaCon! |

Além disso, o projeto também tem por objetivo conferir autonomia formal para que a instituição possa exercer suas atividades sem interferência política. De acordo com o relator da proposta, senador Telmário Mota (Pros RR), isto se torna especialmente importante em anos eleitorais, como 2020.

Além desse, um outro projeto semelhante segue em trâmite na Câmara dos Deputados. Trata-se do projeto de lei complementar 112/2019, que está parado na Coordenação de Comissões Permanentes desde junho de 2019. A diferença é que a proposta na Câmara transfere competências sobre política monetária do Conselho Monetário Nacional para o Banco Central, ponto que não é tratado na proposta que será votada no Senado.

Concurso Bacen: saiba mais sobre o pedido para nova seleção

O novo concurso Bacen já conta com pedido de autorização enviado ao Ministério da Economia para o preenchimento de 260 vagas, distribuídas entre três carreiras, da seguinte maneira: 200 para analista, 30 para procurador e 30 para técnico, com opções de níveis médio e superior, com iniciais de até R$ 21.472,49. 

No caso de técnico é necessário possuir apenas ensino médio, com remuneração inicial de  R$ 7.741,31 por mês, já considerando o auxílio-alimentação de R$ 458.

Para analista e procurador é necessário possuir formação de nível superior em diversas áreas de atuação. Os vencimentos são de R$ 19.655,06 e a R$ 21.472,49, respectivamente, ambos já considerando o complemento de R$ 458.

| Inscreva-se no canal do AlfaCon e tenha acesso a conteúdos exclusivos! |

Concurso Bacen: último edital

Em 2013, o concurso Banco Central promoveu seleção com 500 vagas destinadas aos cargos de técnico e analista. Na ocasião, a banca organizadora foi o Cespe/UnB e a remuneração inicial oscilou entre R$ 5.158,23 e R$ 14.289,24.

A carreira de técnico apresentou 100 oportunidades e estava dividida entre as áreas de suporte técnico-administrativo e segurança institucional. A exigência era de ensino médio completo.

Destinado a profissionais de nível superior, o cargo de analista (400) estava distribuído em seis áreas de conhecimentos: análise e desenvolvimento de sistemas, suporte à infraestrutura de tecnologia da informação, política econômica e monetária, contabilidade e finanças, infraestrutura e logística, e gestão e análise processual.

O processo seletivo do concurso Bacen (Banco Central) constou de prova objetiva, teste discursivo e análise de títulos – este último apenas para analista. Depois, houve um programa de capacitação aos candidatos aprovados.

Todos os profissionais contratados pelo concurso foram lotados em Brasília (DF), Belém (PA), São Paulo (SP), Salvador (BA) e Porto Alegre (RS).

Resumo do Concurso Bacen (Banco Central)

Vagas: 230
Taxa de inscrição: Não definido
Cargos: Analista, Procurador
Áreas de Atuação: Administrativa, Operacional
Escolaridade: Ensino Superior
Faixa de salário: De R$ 7741,00 Até R$ 21472,00
Estados com Vagas: AC, AL, AM, AP, BA, CE, DF, ES, GO, MA, MG, MS, MT, PA, PB, PE, PI, PR, RJ, RN, RO, RR, RS, SC, SE, SP, TO

 

| Veja mais notícias aqui! |