Passe nos TRT’s com as dicas do Professor Thállius Moraes

98

É, concursandos, o momento está propício para quem deseja conquistar uma vaga em concurso público. Somente para carreiras em tribunais, são três concursos em andamento: TRT-SC, TRT-GO e TRT-SP. E, pensando em você, o Professor Thállius Moraes preparou ótimas dicas que vão te ajudar a entender um pouco mais esse universo dos tribunais e a estudar, confira


trt_thalliusDicas do Professor Thállius Moraes:

Conforme bastante esperado e avisado, os concursos para TRTs estão vindo com tudo em 2013! Mal passaram os concursos do TRT-RJ e TRT-PR e já temos editais abertos de mais dois grandes TRTs: o de Santa Catarina e o de Goiás.

Tanto o edital do TRT-SC como do edital do TRT-GO vieram bastante parecidos e no formato que parece ser o atual padrão da banca FCC. Algumas matérias como informática e atualidades foram deixadas de lados e outras estão tomando os seus lugares, como Noções de Gestão Pública e o Regimento Interno de cada tribunal. As demais matérias continuam no mesmo padrão de sempre, com apenas algumas pequenas variações (exemplo: em processo civil alguns editais estão cobrando a lei 11.419 – Processo Judicial Eletrônico).

Para o TRT-SP, um dos mais aguardados em virtude da quantidade massiva de nomeações que esse tribunal realiza, espera-se o mesmo padrão: uma prova com edital mais abrangente (com processo civil para técnico, noções de gestão e regimento interno para todos os cargos).

Redação:
A redação também está sendo cobrada para todos os cargos, sendo também esse modelo o esperado para o TRT-SP e para os próximos tribunais de maior porte. Ela tem um peso bem relevante na banca FCC, pois a posição final do candidato pode variar bastante de acordo com a nota na prova dissertativa, colocando no páreo candidatos que foram classificados com uma nota inferior e algumas vezes eliminando do concurso candidatos que chegaram perto de gabaritar a prova objetiva.

Fundação Carlos Chagas:
A FCC também vem mantendo o padrão do conteúdo cobrado em suas questões e provas dissertativas: muita decoreba de texto de lei e súmulas e temas subjetivos na redação, com uma rigorosa cobrança da correção gramatical do candidato.

Remuneração:
Os salários previstos no edital sempre são inferiores à remuneração final que o aprovado receberá após ingressar no tribunal, pois, além dessa ser apenas a remuneração inicial (há níveis de carreira que aumentam a remuneração conforme o avanço), há também outras vantagens (como os adicionais de qualificação), fora que para os que exercem atividades internas, existe sempre a possibilidade de ocupar uma das diversas modalidades de FC (função de confiança).

Vagas:
Em relação às vagas, as dúvidas são sempre as mesmas, assim como as respostas, independente do Tribunal: no edital sempre há a previsão de um número bastante modesto de vagas, mas isso é apenas a pontinha do iceberg, todos os tribunais sempre chamam um número muito superior ao disposto no edital. O importante é prestar para vários tribunais e conseguir “entrar em várias filas”, com o tempo elas rodam (algumas mais que as outras) e mesmo aqueles candidatos que não ficaram tão bem colocados podem vir a serem chamados dentro do prazo de validade do concurso.

Possibilidades:
Quem começou ou planeja começar agora a estudar para essa área também não precisa se preocupar, pois mesmo que já tenhamos alguns editais abertos, logo teremos outros; essa é uma das maiores vantagens dessa área, o grande número de concursos todos os anos! Logo no começo de 2014 podemos esperar outros tribunais que também costumam ter um alto índice de nomeações, como o TRT-15 (Campinas). O importante é estudar sempre e com afinco, com o tempo o conhecimento vai sendo sedimentado e a aprovação torna-se mera consequência.

Quem foca na área de TRTs também pode prestar outros concursos, muitos editais tem um conteúdo bastante parecido com os dos TRTs, com apenas algumas adequações e inclusão de determinadas matérias, abre-se o leque para prestar concursos de TJs (Tribunais de Justiça), Ministérios e até mesmo TRFs (Tribunais Regionais Federais) e TREs (Tribunais Regionais Eleitorais). O cuidado a ser tomado é não querer abraçar todos esses concursos e aumentar excessivamente a quantidade de matérias a serem estudadas, dedique-se aos TRTs e, caso queira aumentar as opções, escolha um desses outros acima citados.

Caso algum edital interessante de outra área seja publicado, analise-o bem e verifique se as matérias que fazem parte do seu estudo regular estão incluídas e a quantidade de material novo que deverá ser estudado, com isso em mente se torna mais fácil concluir se compensa ou não prestar esse concurso (sempre tome cuidado para não desfocar demasiadamente, lembre-se que temos TRTs abrindo o tempo todo).

Estude para TRT’s:
Após prestar e passar em vários TRTs (dentre outros concursos), um deles em primeiro lugar para o cargo de Analista Judiciário – Executor de Mandados, sinto-me bastante à vontade para aconselhar como deve ser feito o estudo para TRTs:

Ao longo de sua preparação o candidato deve estudar sempre de maneira mais abrangente, levando em conta um número amplo de tópicos dentro de cada matérias (as matérias de Direito por exemplo possuem tópicos que sempre caem, outros que caem esporadicamente e outros que não caem praticamente nunca) e as matérias que podem cair no cargo almejado (exemplo: Processo Civil não cai para o cargo de técnico judiciário em todos os concursos, mas como eventualmente ele cai, é interessante ter essa matéria dentre o rol das estudadas).

Dessa forma, quando o edital abre o candidato não é pego de surpresa, estudar uma matéria ampla e 100% desconhecida com o edital aberto pode ser um pouco complicado. Com o edital aberto o plano já muda, como o candidato já estudou toda a matéria, já tem seu material e seus resumos preparados, ele pode direcionar seus estudos apenas para aquilo que o edital expressamente cobra.
Como os editais costumam ter um conteúdo programático bem extenso, é de absoluta importância que o candidato se prepare com um material de qualidade, que traga apenas o que é importante para a prova (ora, para que estudar um tópico que é tratado em 150 páginas nos livros se com 2 parágrafos eu resolvo sua vida?).

Após levar pau em vários concursos, percebi que mesmo estudando muito faltava algo, que apenas minha dedicação não seria suficiente; eu precisava me dedicar, mas de forma apropriada, sem ficar estudando tópicos irrelevantes ou ignorando temas importantes, devia ir direito naquilo que realmente precisava. Assim, depois de ter conseguido esquematizar a matéria (uma das etapas mais difíceis e mais importantes) é que consegui minhas aprovações.

Nessa etapa é que muita gente acaba encontrando a muralha antes da aprovação, pois muitos livros, apostilas, cursos e professores por aí, apesar de ostentarem glamourosos títulos e serem famosos no meio, simplesmente se esquecem do mais importante: O OBJETIVO DO ALUNO É A APROVAÇÃO! Desse modo, acabam por tratar temas irrelevantes excessivamente, simplesmente ignoram temas bobos, coisa de lei seca mesmo, mas que despencam e para que tenham seus enormes egos massageados, falam de maneira muito rebuscada, discutem temas deliciosos de debater (mas de importância zero para sua prova) e simplesmente não resolvem a vida de ninguém.

Estude com o AlfaCon:
Nossas aulas têm um único objetivo: FAZER VOCÊ PASSAR! E sinceramente, a vida já é bem complicada sem a necessidade de um engravatado de fala difícil ficar horas e horas na sua orelha quase te matando de tédio. Quem disse que estudar tem de ser chato o tempo todo? quem disse que tem que ser difícil entender a matéria?

Nosso método é bem “simples”: passamos para o aluno aquilo que ele precisa para obter a sua aprovação, nem mais, nem menos, de maneira fácil e descontraída. Com minha experiência de concurseiro sei o que o aluno quer e precisa, não aprendemos isso em livro algum, não aprendemos o caminho olhando para um mapa, nós aprendemos o caminho após ter trilhado o mesmo. Agora que meus objetivos como concurseiro foram alcançados, tenho novos objetivos, que é servir de guia para que outras pessoas também alcancem esse sonho, sem se perderem pelo caminho.

Um grande abraço.
Prof. Thállius Moraes

Comentários

comentarios