“Você precisa ter sangue no olho”, aconselha delegado para concurseiros da carreira

393

Conheça a história do professor do AlfaCon e delegado da PC-DF, Marcelo Zago, e as dicas dele para quem quer ser aprovado na carreira policial

Bastante dinâmica, a carreira de Delegado reúne trabalho intelectual (técnico-jurídico) e operacional. O delegado, além de ser o chefe da polícia, é o presidente da investigação criminal. Sendo assim, o profissional da área deve aplicar seus conhecimentos jurídicos e participar ativamente dos cumprimentos das diligências investigativas, como em mandados de busca e apreensão e prisões.

Para conhecer outros detalhes sobre a carreira, como funções, formação necessária e até quais são as etapas dos concursos públicos na área, leia o texto Carreira de Delegado: tudo que você precisa saber! 

Comece seus estudos de graça para a carreira de delegado de polícia! Clique aqui e confira!

Nesta matéria, você vai conhecer mais sobre o dia a dia de um delegado, com a história do Marcelo Zago, professor do AlfaCon e delegado da Polícia Civil do Distrito Federal. Ele conquistou esse cargo por meio de muito estudo, dedicação e persistência. Confira:

Por que você escolheu a carreira de delegado de polícia?

Marcelo Zago: Quando eu tinha uns 18 anos, eu precisava tomar uma decisão na vida. Ou eu ia ser lutador de Jiu-jitsu profissional, eu já lutava há muitos anos, ou eu ia estudar. E eu decidi estudar, foi uma decisão que me trouxe muita coisa boa, mas também muita dificuldade nisso. Estudar não é fácil e quem entra nessa vida de concurso achando que estudar é fácil vai acabar desistindo. 

É importante que as pessoas tenham uma noção da realidade para que possam prosseguir com sangue no olho e no caminho certo. Eu sempre quis ser polícia, comecei a fazer Direito para ser delegado de polícia. Depois de formado, continuei estudando, passei e não fiz mais concurso. Sou realizado com o que eu faço. 

Você fez concurso para polícia por ideologia ou por dinheiro?

Marcelo Zago: Por ideologia, com certeza. Quando você olha seu trabalho fazendo a diferença no mundo, tudo vale a pena. O dinheiro é uma consequência. Claro que policial tem que ganhar bem. Mas quando a gente pensa no trabalho em si brilham mais os olhos do que com o contracheque.

Qual foi a sensação ao ver o seu nome na lista de aprovados?

Marcelo Zago: Foi uma sensação fantástica. O concurso para delegado de polícia é muito longo e cada etapa é uma comemoração diferente. Ao passo que cada etapa é uma comemoração, mas também um medo em relação a próxima. Mas sentir medo é algo normal. Todo mundo tem um receio de acabar perdendo uma outra fase. Quando chegou o resultado final mesmo, fui aprovado, terminei a Escola Superior de Polícia, eu pensei: vou ser delegado de polícia mesmo, vou atingir o sonho que eu sempre quis. 

Qual dica você dá para quem está estudando para concurso da carreira de delgado e carreira policial?

Marcelo Zago: Você pode encurtar esse caminho (até a aprovação) procurando algo, mecanismos que vão te ajudar a progredir de uma forma mais célere. Quando a gente pensa em convicção, isso não pode morrer. Você precisa ter perseverança, sangue no olho e continuar no seu intento, porque você vai chegar lá, é uma questão de tempo. E acredite, vale a pena.

Se você também tem o sonho de seguir a carreira policial, assista ao vídeo que o AlfaCon fez com o Marcelo Zago no Papo de Polícia e motive-se com mais essa história inspiradora!

 

| Gostou da dica? VEJA MAIS AQUI! |