[ATUALIZADO] Hífen: como usar de forma correta

5140

Mesmo com o acordo ortográfico em vigor há cinco anos, muitas pessoas ainda se confundem com as diversas alterações nas regras de uso do hífen. O Blog do AlfaCon vai te ajudar a estudá-las

A função básica do hífen [-] é criar novas palavras, sejam compostas ou derivadas, na formação de substantivos compostos por justaposição. Também é empregado para unir verbos a pronomes oblíquos, encadeamentos de palavras e para indicar separação de sílabas.

A atualização do acordo ortográfico, em vigor desde 2016, trouxe diversas outras alterações às regras de hifenização. O tópico é sempre cobrado em concursos públicos e ainda traz algumas confusões para os candidatos.

“A palavra micro-ondas, que é muito usual, já fora grafada sem hífen (*microondas*). Com a reforma ortográfica, sempre que o prefixo terminar por vogal e o segundo elemento iniciar pela mesma vogal, haverá hífen. Podemos perceber a confusão dos candidatos também no uso da palavra autoescola. Outrora, fora grafada com hífen, mas, com a reforma, deve ser grafada sem hífen; sempre que o prefixo terminar por vogal e o segundo elemento iniciar por vogal diferente”, orientou a ajuda da professora Thaís Batista.

O Blog do AlfaCon reúne neste post algumas das regras básicas da hifenização, para te ajudar a aprender como e quando usá-lo em diferentes situações.

👉 Leia mais: Dicas de Língua Portuguesa: Gramática

Uso do hífen em substantivos compostos

O hífen é utilizado nas palavras compostas por justaposição (radicais que se juntam sem que haja alteração fonética) sem elementos de ligação, cujos elementos formam uma unidade com significado próprio.

Exemplos: couve-flor, ano-luz, arco-íris, decreto-lei, sexta-feira.

Também se emprega o hífen em topônimos (nomes de lugares) que se iniciam com grã, grão ou que sejam ligados por artigos. Outros nomes de lugares não levam hífen. A exceção é Guiné-Bissau.

Exemplos: Grã-Bretanha, Grão-Pará, Baía de Todos-os-Santos.

E também levam hífen os nomes de espécies botânicas e zoológicas.

Exemplos: amor-perfeito, tamanduá-bandeira, pimenta-do-reino, erva-doce.

Outra situação obrigatória do uso de hífen é nas palavras compostas cujo primeiro elemento é bem ou mal, e os elementos que se seguem se iniciam com a letra h ou com vogal.

Aqui, o cuidado é observar o caso do advérbio bem. Há palavras cujos elementos se iniciam com consoante em que o hífen é empregado, embora com o advérbio mal não sejam: bem-criado, mas malcriado.

Exemplos: bem-humorado, bem-amado, mal-assombrado.

Também há uso do hífen nas palavras com além, aquém, recém e sem. E nos encadeamentos vocabulares (ponte Rio-Niterói, rodovia Rio-Santo, austro-húngaro).

Exemplos: além-fronteiras, aquém-mar, recém-casado, sem-teto.

👉 Leia mais: Aula de Gramática: entenda o que é morfossintaxe

Derivação prefixal

O hífen também é usado na formação de palavras por derivação prefixal. Pelo atual acordo, a regra base indica hifenização quando o prefixo termina com a mesma vogal que começa a segunda palavra, ou quando a segunda palavra começa com h.

Exemplos:
– Segunda palavra com a mesma vogal: micro-organismo, micro-ondas, contra-ataque.
– Segunda palavra com h: micro-história, contra-habitual, anti-higiênico.

Outros exemplos de hifenização obrigatória são para os seguintes prefixos:

  • Circum e Pan: segundo elemento começa com vogal ou com as letras h, m ou n (circum-ambiente, pan-americano)
  • Hiper, Inter e Super: segundo elemento começa com a letra r (hiper-resistente, inter-relação)
  • Ex e vice: ex-mulher, vice-presidente, vice-prefeito
  • Pós, pré e pró: quando são acentuados (pós-moderno, pré-escola, pró-europeu)

E, ainda, nos sufixos de origem tupi-guarani: capim-açu, cajá-mirim, Embu-Guaçu

Revisão acordo ortográfico: uso do hífen em palavras compostas
Revisão acordo ortográfico: uso do hífen em palavras compostas

2 Comentário

Comments are closed.