Concurso Polícia Rodoviária Federal Pernambuco: como funciona e dicas para se preparar

219

Quem quer ingressar em carreiras policiais deve ficar atento ao lançamento de editais para concursos, como o da Polícia Rodoviária Federal em Pernambuco. Afinal, esse é um dos certames que mais chamam a atenção de quem tem o sonho de entrar na carreira pública em uma das instituições mais respeitadas do Brasil.

Além de todo cuidado com a preparação é importante conhecer os principais pontos do edital, como conteúdos que serão disponibilizados nas provas, datas e demais etapas do concurso público. Pensando na importância desse assunto, resolvemos elaborar este conteúdo.

Nele, mostraremos todos os principais detalhes do concurso para Polícia Rodoviária Federal em Pernambuco. Continue lendo para saber mais!

Como funciona o concurso para Polícia Rodoviária Federal em Pernambuco?

Para entender como funciona o concurso para Polícia Rodoviária Federal em Pernambuco, utilizaremos os dados do último certame realizado até o dia de publicação deste conteúdo, que aconteceu no ano de 2021. Nós temos duas grandes etapas, divididas em várias subetapas, que são as seguintes:

  • provas objetiva e discursiva;
  • exame de aptidão física e psicológica
  • apresentação de documentos;
  • avaliação de saúde;
  • prova de títulos;
  • avaliação biopsicossocial;
  • procedimentos de heteroidentificação.

Na segunda etapa, nós temos os seguintes procedimentos:

  • teste de aptidão física;
  • avaliação psicológica e de saúde que acontecem de forma continuada;
  • curso de formação.

Cada uma das subetapas tem pesos diferentes na pontuação final do candidato. No último concurso, a prova objetiva abrangia o máximo de 120 pontos. A discursiva somava 20, avaliação de títulos 10 pontos e o curso de formação 50 pontos. Entendida essas etapas e subetapas mostraremos com mais detalhes cada uma delas. Continue lendo!

Provas objetivas e discursivas

As provas objetivas do último concurso da PRF tiveram as questões divididas em blocos. No primeiro, foram 55 questões com os seguintes conteúdos:

  • português;
  • informática;
  • noções de física;
  • ética no serviço público;
  • geopolítica brasileira;
  • idiomas (inglês ou espanhol).

No bloco II, são mais de 30 questões focadas exclusivamente na Legislação de Trânsito brasileira. Já no bloco III, totalizam 35 questões com os seguintes conteúdos:

  • noções de Direito Administrativo, Constitucional e Penal;
  • Direito Processual Penal;
  • legislação especial;
  • legislação de trânsito
  • legislação relacionada aos Direitos Humanos e Cidadania.

O candidato que conquistar notas inferiores a 15 pontos no bloco I, 10 no bloco II, 10 no bloco III e menos de 50 no conjunto dos três blocos será desclassificado do certame e não terá sua prova discursiva corrigida. Por falar nela, temos a próxima etapa do certame que é o desenvolvimento de uma redação.

O foco é avaliar o domínio da língua portuguesa, tendo uma pontuação máxima de 20 pontos, devendo ter até 30 linhas. Além disso, o tema tende a ter uma relação com o trabalho do Policial Rodoviário Federal. No último concurso o tema foi: “a inovação legislativa como instrumento para redução dos acidentes de transporte terrestre”.

Avaliação psicológica e de saúde

As avaliações psicológica e de saúde pretendem analisar por meio de exames clínicos, laboratoriais e junto a médicos e psicólogos a capacidade física e mental dos candidatos que chegaram até essa etapa do concurso.

Além disso, nessa etapa também são apresentados outros documentos adicionais que comprovam a habilitação jurídica do candidato a seguir no certame.

Prova de títulos

A prova de títulos tem caráter classificatório. Ou seja, os documentos apresentados, quando computados, têm seu valor somado à pontuação das provas objetivas e discursivas. O foco é classificar os candidatos de acordo com seu nível acadêmico e profissional, considerando sempre as atribuições de cada cargo.

Essa pontuação é computada a partir da apresentação de diplomas, certificados ou declarações de conclusão de cursos aceitos pela banca examinadora do certame.

Avaliação biopsicossocial e procedimentos de heteroidentificação.

A próxima etapa é o momento em que candidatos que se inscreveram na condição de pessoa com deficiência física comprovam esse fator. No caso dos procedimentos de heteroidentificação temos a comprovação dos candidatos que se declaram negros no momento da inscrição.

Teste de Aptidão Física (TAF)

Finalmente, chegamos ao famoso TAF. Trata-se de uma série de exercícios que têm como foco demonstrar a capacidade física real do candidato, gerando a possibilidade de os examinadores verificarem questões que não podem ser observadas em um exame médico simples.

Essa etapa tem caráter eliminatório e classificatório e todos os candidatos devem passar por ele. Os testes aplicados são os seguintes:

  • flexão em barra fixa;
  • corrida de ir e vir (shuttle run);
  • teste de impulsão horizontal;
  • flexão abdominal;
  • teste de corrida de 12 minutos, o famoso cooper.

Os candidatos serão aprovados no TAF apenas se alcançarem a pontuação mínima de 2,00 pontos em cada um dos testes/avaliações. Além disso, também deve atingir a média aritmética de 3,00 pontos no somatório de todas as avaliações.

Além disso, também é muito importante salientar que as gestantes, bem como as pessoas que têm necessidades especiais, sempre terão um atendimento e avaliação diferenciados. Essas informações devem constar no edital. Caso não esteja presente no documento, o candidato pode buscar informações sobre as adaptações dos exercícios junto à banca examinadora.

Curso de formação

A última etapa do concurso para Polícia Rodoviária Federal em Pernambuco é o Curso de Formação Policial (CFP). Ele tem caráter eliminatório e classificatório e o responsável pela ministração é a Universidade Corporativa da Polícia Rodoviária Federal (UNIPRF) que fica localizada em Florianópolis (SC).

Essa é uma etapa do concurso público em que o candidato se vê muito próximo de, finalmente, assumir o tão sonhado cargo. Contudo, essa é uma etapa essencial e o não cumprimento pode desclassificar o aprovado em todas as etapas anteriores.

O curso ocorre em regime de dedicação integral e exclusiva. Assim, é obrigatória a frequência de acordo com o regulamento do curso. Informações como duração e os horários das aulas são indicados por meio de um edital específico. As aulas ocorrem aos sábados, domingos e feriados, durante todo o dia, chegando a alcançar o período noturno.

Quem estiver matriculado no curso receberá um valor a título de auxílio financeiro. Geralmente, o montante perfaz 50% do subsídio inicial do Policial Rodoviário Federal. Isso é importante para que o candidato possa se manter na cidade durante o curso preparatório. Afinal, ele deve arcar com suas próprias despesas com estadia, locomoção, alimentação e saúde.

Ao final do curso preparatório, o candidato que não conseguir alcançar o mínimo de 6 pontos em cada disciplina e 7 na média geral, bem como não tiver a frequência integral será desclassificado.

Algumas faltas podem ser abonadas pela coordenação do curso, desde que sejam devidamente justificadas por meio de documentos e atestados.

Quais são os níveis e cargos que a instituição possui?

A Polícia Federal é uma instituição muito ampla. Logo, ela possui uma série de profissionais que atuam nas mais diversas áreas. Contudo, quando tratamos de níveis e cargos temos duas carreiras, uma de nível médio e outra superior.

O cargo mais desejado é o de Policial Rodoviário Federal. Nesse caso, é exigido que o candidato tenha nível superior. Contudo, as pessoas que têm o nível médio não ficam de fora da instituição. O Agente Administrativo, por exemplo, pode ser empossado sem ter cursado um curso em nível superior.

Independentemente da carreira, os policiais ou agentes administrativos só podem chegar até a Polícia Rodoviária Federal por meio de um concurso público. Quando aprovado, o policial inicia a sua carreira ocupando o padrão I da terceira classe. À medida que ele desempenha suas funções ocorrem as promoções até chegar ao padrão III de classe especial.

No caso dos cargos administrativos, não existe plano de carreira. Desse modo, o profissional recebe apenas os respectivos reajustes salariais anuais.

Quais editais consultar?

Quem pretende prestar concurso para a Polícia Rodoviária Federal em Pernambuco precisa consultar editais anteriores para se preparar para a prova. A vantagem desses concursos é que eles são realizados com uma boa frequência. Logo, você não precisa pegar editais tão antigos e já tem acesso a certames recentes com conteúdos mais atualizados.

Por exemplo, no ano de 2021 tivemos um concurso da Polícia Rodoviária Federal. Inclusive, o certame selecionou profissionais para atuarem no estado do Pernambuco. Assim, você pode analisar as provas e as etapas do certame, podendo projetar todo seu planejamento para os próximos concursos da instituição.

Também vale a pena dar uma olhadinha nos concursos da Polícia Federal. Isso porque, como ele é um certame de nível nacional, também tem exigências semelhantes. Contudo, vale a pena ressaltar que para os cargos da rodoviária existem disciplinas a mais que são cobradas. Principalmente, a parte de legislação de trânsito.

A vantagem de consultar editais anteriores é a possibilidade de verificar as provas já corrigidas, sendo uma excelente forma de treinar seu aprendizado. Porém, isso não significa que você não deve ter atenção ao edital do concurso quando for lançado. Afinal, podem existir conteúdos distintos para aquele certame em especial.

O objetivo principal é utilizar as informações de outros certames para embasar seus estudos. Afinal, deixar começar apenas quando o edital do concurso pretendido for lançado é algo perigoso. Isso porque, você não será capaz de abranger todos os conteúdos com qualidade em tão pouco tempo.

O estudo deve ser constante e não apenas no lançamento do certame. Portanto, tenha atenção a esse detalhe. Quando o edital é lançado você deve intensificar seus estudos, contudo, precisa estar adiantado quanto ao desenvolvimento da maior parte dos conteúdos.

Como se planejar para estudar?

Para finalizar este conteúdo, é importante mostrar como você pode se planejar para estudar para concursos públicos como o da Polícia Rodoviária Federal e outros que surgirão ao longo dos próximos meses e anos.

Antes de qualquer coisa, é importante ter atenção a um detalhe: contar com a sorte pode ser bastante complicado para ingressar nesse tipo de cargo. Afinal, ao participar desses certames você competirá com candidatos que já estudam a meses ou anos na preparação para assumir a profissão. Logo, para ser aprovado é preciso estar no mesmo nível que eles.

Quem pensa em passar em concursos públicos sem estudar levará esse processo como loteria. Inclusive, é mais fácil ganhar em uma aposta de sorte do que ser aprovado em todas as etapas sem estudar.

Acredite, isso não funciona. Portanto, o primeiro passo para ir bem nas provas é escolher um bom curso preparatório, sendo esse o principal fator que pode levar a sua aprovação. Uma dica para escolher uma boa instituição é procurar pela opinião de quem já foi aluno.

Algumas empresas oferecem diversos depoimentos de aprovados que mostram o potencial que o curso tem de formar pessoas preparadas para o concurso público. Assim, além de escolher uma instituição de qualidade, você também pode se inspirar com quem já chegou lá. Corra de cursinhos que prometem aprovação em poucas semanas. Isso simplesmente não existe.

Outra dica importante — especialmente para quem está começando do zero — é determinar as horas que serão dedicadas ao estudo. Além disso, é fundamental comunicar aos seus familiares e pessoas que moram com você sobre seu objetivo de ser aprovado no concurso para Polícia Rodoviária Federal em Pernambuco.

Assim, as pessoas próximas entenderão que nesse momento você está construindo seu aprendizado e dando passos importantes rumo à aprovação. Logo, não deve ser interrompido em nenhuma hipótese. Também é importante ter foco nos estudos, evitando a procrastinação e mantendo seus objetivos sempre em mente.

A montagem de um cronograma de estudos também é algo que merece a sua atenção. Existem diversas dúvidas sobre como realizar esse procedimento. Algumas pessoas cometem erros graves na definição desse elemento, deixando de lado alguns conteúdos que seriam importantes para a aprovação.

O ideal é que o próprio curso preparatório forneça ideias sobre como montar esse cronograma, fornecendo uma espécie de passo a passo sobre quais são as disciplinas que devem ser estudadas ao longo da sua formação.

Por fim, podemos perceber que o concurso para Polícia Rodoviária Federal em Pernambuco é uma excelente oportunidade para que o candidato possa ingressar no serviço público. Especialmente, para os que sempre sonharam em fazer parte de alguma carreira policial. Portanto, não perca mais tempo e inicie sua preparação o quanto antes.

Gostou deste artigo? Então, siga os nossos perfis nas redes sociais. Assim, você se mantém informado sobre as principais dicas e notícias de concursos públicos. Estamos no YouTube, no Facebook, no Instagram, no Twitter e no LinkedIn.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here